segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

E a palavra para 2018 é...


Feliz 2018!
Como foi o seu ano novo? Espero que todos tenham entrado bem neste novo ciclo que se inicia.
Parece que sempre que viramos o ano dá aquela sensação de necessidade de renovação. De uma nova página sendo virada no nosso livro. Mas como dizem, o mundo só será diferente se formos uma pessoa diferente. E acredito muito que uma das palavras que pode fazer a diferença neste 2018 seja hábito
Grande parte do que fazemos todos os dias é fruto de comportamento habituais, daqueles hábitos que carregamos ao longo de anos sem ao menos perceber. 
Sejam hábitos simples como procrastinar até mesmo os mais profundos como o de se vitimizar ou tercerizar a culpa. Ao longo do tempo desenvolvemos um modo de abordar a vida. Tratamos as pessoas de acordo com o que temos dentro de nós. 


Contudo, se em 2018 desejamos obter resultados diferentes, então não basta apenas mudar nosso modo de pensar. Também precisamos mudar nossos hábitos. 
Mas por quê?
Por que se não fizermos isso, voltaremos ao nosso velho modo de agir. Parece que nada muda e só se acumula frustações. Isso vale para tudo. Dietas que não funcionam, estudos que não avançam, sonhos que não se concretizam. Não existe fracasso, existe resultado. Se você não alcançou algo, existe uma atitude por trás disso. 


O psiquiatra William Glasser acredita que antes de mais nada, devemos mudar nosso comportamento. Ele diz:
"Se você quiser mudar atitudes, comece com uma mudança de comportamento. Em outras palavras, comece a assumir da melhor maneira possível o papel da pessoa que você preferia ser, a pessoa em que você deseja se tornar. Aos poucos, a pessoa velha e medrosa desaparecerá."
Eu tirei do livro Você Faz a Diferença do autor John C. Maxwell a seguinte idéia:
Maxwell defende o entendimento de que tudo está conectado; pensamentos negativos levam a crenças negativas. Essas crenças tornam-se a base de decisões erradas que levam a ações erradas. Quando essas ações se repetem parece que nós desenvolvemos maus hábitos e perpetuamos assim um ciclo negativo constante.
Já reparou que quando você toma decisões com pensamentos negativos na cabeça parece que tudo dá errado depois?  Na verdade tudo está interligado mesmo sem percebemos. 
Um círculo vicioso.
Contudo, você pode quebrar o círculo cultivando pensamentos mais positivos e desenvolvendo bons hábitos. 

Felizmente diz Maxwell, hábitos não são coisas imutáveis. Muito menos "instinto" como muitos acham. Hábitos são ações que adquirimos ao longo do tempo. Se pudermos identificar a sua causa, o que nos leva a ter aquele determinado hábito, podemos mudar.

Quantas pessoas você não conhece que fazem promessas no começo no ano e assim que ele termina, reclama que o "ano não foi bom". "As estrelas não ajudaram". "Não passei a virada com a minha cor da sorte". Ou mesmo tercerizam a culpa, "Se não fosse por ele (a), aí sim eu teria conseguido". 
E quantas vezes nós mesmos não nos damos desculpas para aceitar melhor a nossa falta de atitude? 
Pois é! 
Mas que tal fazer diferente neste ano? Que tal iniciar 2018 com uma boa reflexão. Bons pensamentos. E principalmente: boas atitudes!

Que seu ano seja repleto de atitudes positivas!

PS: No mês de janeiro, nós teremos posts todos os dias aqui no blog para comemorar os 7 anos de existência do blog! 

Um beijo,

Amanda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Seja bem vindo(a)! Deixe seu comentário, críticas ou sugestões para nós! É muito importante saber sua opinião!!
Muito obrigada por sua visita!