sábado, 18 de agosto de 2018

Como eu vim para a Nova Zelândia?


Quando o assunto é intercâmbio, muitas dúvidas começam a surgir. Ainda mais se você mora no Japão e o acesso à esse tipo de assunto não é ainda tão divulgado. Sei que tem uma ou outra agência que trabalha com isso, mas, particularmente, acredito que as agências do Japão não conhecem de fato o dia a dia de quem mora no país para o qual elas vendem o intercâmbio. Por isso que desde o princípio, busquei uma agência que tivesse sede na Nova Zelândia. Isso me facilitaria muito em caso de dúvidas, perguntas e auxílio em uma emergência. 

Dica 1 - Busque empresas que tenham escritório no país que você pretende ir estudar. 

Confesso que foi MUITO difícil realizar essa escolha. Você tem diversas opções e muitas vezes não sabe qual é realmente a melhor. Eu cotei com todas as agência de intercâmbio que conheci buscando pela internet. E posso afirmar que o maior problema delas é que ou a pessoa que está vendendo o produto não conhece o que vende ou ela está já de "saco cheio" e manda email "pronto" sabe? Muitas me retornaram com um email padrão, daqueles que eles enviam para todo mundo. Essas eu já cortei de primeira. 

Dica 2 - Preste atenção no primeiro contato que você fizer com a pessoa que está te vendendo o intercâmbio, Observe se ela realmente está conversando com você ou simplesmente enviando pacote pronto, resposta pronta e serviço medíocre. Isso faz toda a diferença! Verifique a postura de quem está te atendendo. 

Desisti do Brasil e comecei a cotar com as agências com sede na Nova Zelândia. Fui muito bem atendida por grande parte delas. Não tenho do que reclamar. O caso é que eu continuava perdida, Afinal, com quem fechar?
Eu acredito muito em intuição sabe? E estava esperando minha intuição me direcionar para o melhor caminho. 
Durante esse meio tempo, eu também decidi começar a buscar apartamentos pelo Airbnb para ficar no meu primeiro mês. Foi quando eu achei um local excelente. Localização perfeita! Mas ainda estava com receio de fechar esse apartamento e não ser o local ideal. Decidi buscar por pessoas que já ficaram no mesmo local, e para minha sorte, achei um blog de um casal brasileiro que havia de hospedado exatamente neste apê que eu tava querendo tanto ficar! 
Entrei em contato com a dona do blog para pedir mais detalhes. Mas não sabia se ela iria me responder pois eu havia mandado uma mensagem pelo Facebook. E para minha surpresa, não é que ela me respondeu? Pois é! 
Conversamos bastante e descobri que a Stella, a dona do blog, trabalhava na área de intercâmbio! Começamos a trocar mensagens e percebi que ela me passava segurança sobre o que estava falando. Comecei a colocar os prós e contras no papel. Vi que a empresa dela, a Kiwi Education, tinha algumas vantagens que outras não me ofereceram:

1- Aplicação do visto de estudante 100% gratuito. Eles tem a própria consultora de imigração que fica responsável pelo visto sem cobrar taxa extra. 
2- Eles não iam me cobrar para buscar no aeroporto nem nenhuma taxa extra para me ajudar aqui na Nova Zelândia.

Dica 3 - Anote no papel o que cada agência está te oferecendo. Coloque de um lado as vantagens e as desvantangens para ficar bem claro na hora de você balancear entre uma empresa e outra. 

O primeiro email que troquei com a Stella foi no dia 16 de outubro de 2017. No dia 29 de maio de 2018 eu estava embarcando para a Nova Zelândia!
Posso dizer que o processo foi muito simples, e o visto do Erik saiu em tempo recorde, em apenas 3 dias úteis. Foi incrível! Ficamos muito felizes.

Para esclarecer as perguntas mais frequentes, eu fiz esse vídeo aqui:


Se você tiver qualquer dúvida é só deixar aqui nos comentários que terei o maior prazer em responder!!!!

Beijos,

Amanda

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Tudo sobre meu curso de inglês na Nova Zelândia!



No último dia 10 de agosto de 2018, conclui meu curso de inglês aqui na Nova Zelândia. Foram 14 semanas de muito aprendizado e muitos desafios. Muitas pessoas acreditam que 3 meses de inglês é um tempo muito curto para aprender inglês, e de fato é. Mas durante minha experiência posso dizer que o sucesso do aprendizado não depende só de tempo. Conheci gente aqui que está há 6 meses na escola e não saiu do nível intermediário. O que realmente faz a diferença é a dedicação do aluno. O estudo não acaba quando você sai da escola. Ele tem que continuar nos seus horários livres e fins de semana. Mas nem todo mundo está disposto à esse tipo de sacrifício e o resultado pode acabar sendo frustrante. Acredito muito que não existe resultado bom ou ruim. Existe resultado. Se ele for positivo ou negativo, tudo depende do seu processo como um todo. 

A escola

A escola que escolhi para estudar foi a Auckland Institute of Studies. Ela é uma escola Categoria 1 aqui na Nova Zelândia com quase 30 anos de história. Por que escolhi essa escola? A decisão foi fácil pra falar a verdade! Como minha intenção era fazer uma Pós Graduação, optei pela AIS pois ela oferece 14 semanas de inglês gratuito para todos os estudantes de Graduação, Pós Graduação e MBA! (eu vou falar sobre a minha Pós em outro post).
Minhas aulas eram de segunda à sexta, das 9 da manhã até 14:10.


Pontos positivos

Localização - Muitos podem achar a localização um ponto negativo, mas para mim foi super positivo. Diferente de outras escolas que se concentram no centro da cidade, a AIS fica um pouco mais afastada, numa área residencial. Do centro dá cerca de 20 a 30 minutos de trem/ônibus/carro. A vantagem é que a escola oferece transporte gratuito para os alunos que moram na cidade. Ou seja, se você alugar um local para ficar no centro, basta pegar o ônibus fretado toda a manhã e ir para escola. Seu gasto com transporte será zero. Eu gostei da localização pois por ser mais afastada, é um local mais tranquilo, longe daquela muvuca de centro. 

Infraestrutura - Apesar de operar em um prédio antigo, eu não tenho do que reclamar quanto à infraestrutura da escola. Se você é uma pessoa que não tem muita frescura, pode ficar tranquilo. Eles tem salas grandes, cadeiras boas (as minhas cadeiras no meu intercâmbio nos EUA eram terríveis rs), banheiro sempre limpo, água potável quente e fria disponível, microondas, refeitório OK (nada de luxo) e uma boa biblioteca. 

Sala de aula na AIS


Corpo docente - Essa foi a parte que mais tive sorte/ou não. Assim que cheguei, minha primeira sala foi com uma professora terrível, rs. Ela não explicava nada, mal dava lição, foi a pior experiência possível. Eu estava no nível intermediário, resolvi dar uma chance e esperei mais 2 ou 3 dias. Não aguentei. As aulas era péssimas. Fui conversar com o diretor da escola e pedir para mudar de sala. Por minha sorte ele me transferiu para minha turma querida do nível avançado. E eu tive a honra de ter aula com um dos melhores professores da minha vida, o Tony. Aprendi muito e a meus colegas de classe eram fantásticos. Tínhamos um mix maravilhoso de nacionalidade e de lá fiz 2 amigas brasileiras que espero tê-las para sempre! Foi incrível. Contudo, eu tive que mudar para o curso de "English for Academic Purposes" (inglês para fins acadêmicos) pois eu teria que prestar uma prova para entrar na minha pós, e muito da prova, teria uma conexão com o conteúdo do inglês acadêmico. Mudei do inglês geral para o curso de inglês acadêmico. Tive um professor bom também, mas nada comparado ao Tony.

Da esquerda para direita: Mahiro (Japão), Bruno (França/Portugal), Marcela (Brasil), Tony, de laranja é o Chris (Polônia), Joy (China), eu e a Wey (Brasil). 



Pontos negativos

Mix de nacionalidade - Esse é um ponto muito negativo da AIS. Eles tem um mix muito ruim de nacionalidade. Praticamente só tem chinês e sul-coreano na escola. Minha classe era de 14 alunos chineses, eu de brasileira, 1 menina da Indonésia, 1 da Tailândia e 1 russo. Só. Se você não quer estudar com brasileiro (tem gente que tem esse "preconceito" né) vai pra AIS. rs. Nestas últimas 10 semanas, só tinha eu de brasileira. (a escola tem mais de 100 alunos)

Burocracia - Esse é um ponto chato. Eu precisei de um papel para dar entrada no meu visto e é um papel simples. Bastava imprimir. Mas demorou 3 semanas para eles me darem e só me entregaram pois eu fui até o responsável com nosso "jeitinho brasileiro bravo" e literalmente fiz um escândalo! rs! Acho que eles estão acostumados com os orientais tímidos que ficaram até sem jeito! Eu disse que só saia dali com o papel na mão! E funcionou. Só que a dor de cabeça ficou na memória, infelizmente. 

Conclusão geral

Eu recomendo a AIS sim, no geral de tudo, foi mais positivo do que negativo. Recomendo principalmente se você tem intenção de fazer a Pós  por aqui. Acho que essas 14 semanas de inglês ajudam muito. Não sei até quando essa promoção vai continuar mas acredito que eles sempre terão benefícios para os latino-americanos. 

Mas você não pagou então pelo inglês?

Eu tive que pagar sim! Paguei as 14 semanas e no final, eles descontam esse valor da Pós. Então por isso que sai de graça. O valor que tive que pagar por 14 semanas foi:

3.300 NZD + 108 NZD (taxa administrativa)= 3.408 NZD (250 mil ienes/9 mil reais) 


E deu pra aprender bem em 14 semanas?

Acredito que melhorei sim, mas ainda tem muita coisa que preciso melhorar, principalmente a gramática. Eu cheguei aqui no nível intermediário e conclui com uma nota equivalente ao 6.5 do IELTS que seria algo como "usuário competente" com erros, mas que se vira. Acho que é algo que eu não alcançaria tão rápido estando no Japão e estudando 1 vez por semana. 

Minha classe no nível avançado




























Minha classe no English for Academic Purposes























Agora a jornada segue um novo caminho!<3 div="">

Beijos,

Amanda

sábado, 26 de maio de 2018

Odoremin: o melhor antiperspirante japonês!


Bom, esse post é direcionado para você que assim como eu transpira MUITO
Se você é uma pessoa que não transpira muito um simples desodorante pode resolver os seus problemas. A finalidade do desodorante, como o próprio nome diz, é desodorizar, ou seja, acabar com o odor.
O desodorante em sua grande maioria possui substâncias químicas, principalmente o triclosan que age mascarando o cheiro ruim.
Agora, se você transpira bastante, a saída é o uso de antitranspirantes!
Mas afinal, é antitranspirante ou antiperspirante? Qual é a diferença?
Nenhuma! A função dos dois é bloquear a saída do suor e agir como inibidores da transpiração, mantendo a área onde são utilizados relativamente seca.
O principal componente dos antiperspirantes e antitranspirantes são os sais de alumínio, e são eles que bloqueiam a saída de suor
Então atenção quando você for às compras: nem todos os desodorantes têm ação antitranspirante. Pense no seu objetivo: se for acabar com o suor em excesso, busque por antitranspirantes pois a maioria tem também ação desodorante.
Lembre-se: o antiperspirante (ou antitranspirante) inibe a transpiração e o desodorante só perfuma. Ambos costumam ter ação bactericida, que também combate o mau cheiro. 



Odoremin e seus benefícios

O Odoremin conta com apenas 3 ingredientes na sua fórmula: cloreto de alumínio, glicerina e água. Nada mais. Ele é livre de fragrância, não mancha a roupa e pode ser usado nas axilas, pés e mãos. 



O cloreto de alumínio é usado para o controle de suor em excesso e hiperidrose. porque ele age no duto das glândulas sudoríparas, formando uma espécie de “tampão” de gel. Além disso, impede o crescimento de fungos e bactérias. 
E qual horário eu devo usar o Odoremin?
De preferência à noite, com a pele limpa e seca, pois as glândulas sudoríparas são menos ativas enquanto você dorme permitindo que o produto entre em ação durante toda a noite. 
Eu comprei o meu no Rakuten, você acha fácil na Amazon também. Paguei 890 ienes e simplesmente amei! Ele realmente funciona! A única coisa chata é a embalagem! É um vidro com uma abertura e você tem que pegar o produto com a ponta dos dedos para passar. Mas fora isso, nota 10! 

Ah! E sim! Eu irei falar mais para frente do antiperspirante mais famoso: o Perspirex! Testei ele também! 

Um beijo,

Amanda